A Busca do Equilíbrio

     yin-1751104_640

      Existem várias formas para a busca do equilíbrio, algo tão procurado nos dias atuais por conta da agitação do dia a dia, preocupações de toda espécie, sejam de origem financeira, relacionamentos, trabalho, familiares, saúde, etc. São tantas as preocupações que temos, que acabamos nos desequilibrando energeticamente, o que acaba por nos afetar ainda mais no dia a dia, tanto pela falta de equilíbrio na alimentação, quanto no sono, no lazer, na harmonia, entre outros sentimentos indispensáveis para uma vida melhor.

Estar em sintonia com o ritmo dos ciclos naturais, integrar energias opostas, encontrar tempo para criar e descansar, saber despertar a energia do poder e da compaixão, fazem parte de algumas lições do livro ‘Tao Te King’, escrito há 2.500 anos pelo sábio chinês Lao Tsé. Essas lições foram entremeadas com atualizações por vários autores e estudiosos do tema, e achei interessante as formas que são apresentadas, as vezes de forma aparentemente simples, por exemplo, ‘como podemos recuperar a alegria e o equilíbrio aprendendo com o fluxo da natureza’, mas que auxiliam muito para resolver situações que são complicadas e aparentemente até insolúveis. Tanto homens quanto mulheres são beneficiados com essa busca do equilíbrio.

  • A LIÇÃO DA UNIDADE – Readquirir a sensação de unidade com a natureza significa estar em sintonia com o fluxo da vida, do qual fazemos parte. Estar próximo à natureza, observá-la, nos integra de novo ao seu ritmo. Percebemos como tudo nela está em movimento, e perdemos o medo das mudanças. Observamos como as energias opostas – quente, frio, seco e úmido – se integram harmoniosamente e nos abrimos para a convivências com o que é diferente de nós. Outra maneira de sentir a unidade é executar tarefas simples do dia a dia, como lavar louça ou passar roupa, em silêncio e concentração, procurando nos integrar ao que estamos fazendo, sem a interferência do pensamento.
  • A LIÇÃO DO CENTRISMO – Assumir o controle da própria vida é não ceder à influência das pressões do mundo. Por isso, quando as coisas começam a sair do controle, respire fundo. Aquiete sua mente e procure atingir a serenidade que existe dentro de você. Para lidar melhor com as pressões externas, dedique um tempo maior para si mesmo. Procure ficar mais em casa, separe o que acontece dentro e fora de seu lar, e não se esqueça de incluir na agenda atividades criativas que possam expressar sua essência. Em tempo: aprenda a dizer não à invasão do seu espaço.
  • A LIÇÃO DA COMPAIXÃO – O primeiro passo para praticar a compaixão é ser gentil consigo mesmo. Para poder amar ao próximo, é preciso antes saber amar a si próprio. Só assim poderemos dar amor ao outro, pois já o vivenciamos. Aceitar conscientemente nosso corpo, características de personalidade e limites, é uma prática de amor, um ato de generosidade. Só depois disso, é possível entender essa compreensão aos outros.
  • A LIÇÃO DA SIMPLICIDADE – Atividades excessivas podem roubar o prazer de viver. Portanto, simplifique. Evite o supérfluo, organize sua vida e sua casa, não assuma muitos compromissos. Crie espaços na vida, reserve tempo para pensar, relaxar, ler, pintar…Diminua o uso do telefone, celular, tv, computador e outros aparelhos, ladrões de um tempo precioso, que poderíamos dedicar a atividades mais criativas. Procure também identificar as pessoas que ‘roubam’ nosso tempo sem percebermos.
  • A LIÇÃO DOS CICLOS NATURAIS – Como as estações da natureza, as pessoas passam por várias fases na vida, que precisam ser vividas em sua totalidade, sabendo aceitar as mudanças. Além disso, existem os ciclos do dia a dia. É importante identificar os períodos mais produtivos para concentrar neles as atividades mais relativas à criatividade.
  • A LIÇÃO DA NOÇÃO DO TEMPO – Aqui, o segredo é evitar os hábitos cotidianos que sabotam o tempo que temos à disposição. Entre eles estão a dificuldade de delegar tarefas, estabelecer prioridades, e ser incapaz de dizer ‘não posso’, ou ‘não quero’. É necessário também criar intervalos entre uma atividade e outra, e não adiar as coisas. Quando for o caso, é preciso fazer o ‘nobre fechamento’, ou seja, saber abandonar uma atividade quando ela já se estagnou.
  • A LIÇÃO DA CORAGEM – Para o tao, a coragem se manifesta internamente – é a disposição de sempre seguir o coração. Muitas pessoas têm medo de demonstrar o que pensam, viver de acordo com a própria convicção, e serem rejeitadas por isso. Para acreditar em si, é preciso enfrentar os medos e aprender com eles. Outra ideia é ter em mente o que você deseja fazer, avaliar as condições reais, e não se concentrar apenas no que pode trazer dificuldades.
  • A LIÇÃO DA FORÇA – A consciência do próprio valor ajuda a construir o poder pessoal. Ele é construído com base em duas energias, presentes em homens e mulheres: a yin, feminina, suave e emocional; e a yang, masculina, objetiva e ligada ao corpo físico. Entre as fórmulas para aumentar a energia yang, a da ação, estão: ser positivo, definir objetivos, alimentar-se bem, fazer exercícios e estar de bem com a vida. Além disso, é preciso buscar o poder da energia yin: da compaixão, representadas pela humildade e pela perseverança. Assim, unimos força e flexibilidade.
  • A LIÇÃO DA CAPACIDADE DE AGIR – Muitas pessoas, pelo fato de terem sido condicionadas a se mostrar passivas, refreiam a própria energia de ação. Tem medo de serem vistas como ameaça. A segurança na ação estabelece a diferença entre ‘uma pessoa que faz as coisas acontecerem’ e ‘uma que se queixa de que as coisas só acontecem com ela’. Pessoas que agem são otimistas, trabalham com a perspectiva de sucesso, e aceitam as mudanças como algo natural.
  • A LIÇÃO DA HARMONIA – Muitas vezes o desafio das pessoas é encontrar o equilíbrio entre assumir uma atitude conciliadora, e ao mesmo tempo, afirmar sua personalidade. Temos como exemplo o aikidô – ‘arte marcial japonesa que ensina a encarar o conflito apenas como energias em oposição’. Como os padrões energéticos são dinâmicos e se movem, isso significa que os opostos não são irreconciliáveis. Com base em uma compreensão maior, há condições de buscar pontos de vista que podem ser compartilhados, e assim, lidar melhor com os conflitos.

PARA LIMPAR O CORAÇÃO

A prática diária chamada de ‘limpeza do coração’, ajuda a equilibrar as energias internas, lavando a alma de raivas e ressentimentos. Pode ser feita com frequência ou quando uma pessoa        nos atingiu emocionalmente.

  • Focalize o momento desafiador que encheu seu coração de mágoa, frustração ou raiva, e pergunte-se: ‘O que aprendi?’, e ‘O que posso melhorar da próxima vez?’
  • Agora, esqueça de si e de qualquer outra pessoa. Deixe que o calor da compaixão o envolva, desmanchando a sombra que escurece seu coração. Reze uma oração, ou peça que um anjo, santo, guia ou mentor espiritual o ajudem.
  • Respire lenta e profundamente, solte bem a respiração e também a experiência desagradável. Sinta sua paz aumentar à medida que o peso da emoção deixe o seu corpo.
  • Agora focalize-se em um daqueles momentos de muita luz e amor em sua vida, no qual sentiu grande alegria, poder e paz. Aqueça-se em seu calor, depois se pergunte: ‘O que aprendi?’. Deixe fluir o que vem à mente e se pergunte: ‘Como posso usar esse aprendizado no futuro?’
  • Respire fundo e solte a respiração. Sinta gratidão por essa dádiva de sabedoria e paz que preencheu sua alma.

“Livrar a alma das mágoas, ter coragem, buscar sempre a Harmonia, são regras simples de um coração tranquilo.”

 

Por Zelia Madureira – Inspirado no ‘Tao Te King’, de Lao Tsé,  e nos estudos do mesmo pela escritora Diane Dreher.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *